Coronel da PM diz que Corregedoria irá apurar caso de PM armando ameaçando motoboys: ‘Sociedade precisa confiar na instituição’

Polícia Militar (PM) vai analisar a postura de um servidor da corporação que estava armado durante um protesto, na noite dessa terça-feira (21), em João Pessoa. Nas redes sociais, um vídeo compartilhado pelos manifestantes mostra a conduta violenta do policial, que estava fora do horário de trabalho. Ele foi contido por colegas que faziam a segurança do ato.

A manifestação pedia justiça após dez dias da morte de Kelton Marques, 33 anos, morto em um acidente na Avenida Governador Flávio Ribeiro Coutinho, em Manaíra.

O coronel Gerônimo, disse que a Corregedoria da instituição analisará o caso. “Esperamos o relatório escrito pela guarnição da corregedoria que esteve no local para exatamente fazer uma análise e determinar as providências que devem ser adotadas”. Há expectativa de que o policial seja acionado para prestar esclarecimentos.

“Adotaremos as providências para que esse policial seja ouvido e apresente sua versão. No nosso entendimento, a situação foi contornada no local. As partes se deram por satisfeitas, mas a ouvidoria está à disposição”, completou.

Ele também fez um convite aos motoboys que presenciaram as cenas compartilhadas nas redes sociais. “Se entenderem necessário e quiserem nos procurar na Corregedoria para que possamos ouvi-lós, estaremos prontos”.

“A PM vai tomar as providências. Não nos omitimos de tomar todas as medidas necessárias perante o que chegar ao nosso conhecimento. Temos sido justos em nossas decisões para que a sociedade tenha tranquilidade e confie na PM”, finalizou.

Motoboys e familiares de Kelton Marques fizeram um novo protesto para pedir justiça após a morte do entregador. Participantes da mobilização se concentraram no local onde o acidente aconteceu, no cruzamento da Avenida Governador Flávio Ribeiro Coutinho com a Miriam Barreto, no Retão de Manaíra. Os motoboys seguiram para a Central de Polícia, no bairro do Geisel na noite desta terça (21). Os manifestantes pedem a prisão do motorista do carro que causou o acidente, após ultrapassar o sinal vermelho. Ele está foragido.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar