DENTRO DE SUPLEMENTO ALIMENTAR: Blogueira que ostentava viagens de luxo é presa por tráfico internacional de cocaína

A Polícia Federal (PF) prendeu a blogueira e advogada Laís Crisóstomo Aguiar por tráfico internacional de quase meio quilo de cocaína. Ela é natural de Montes Claros, no Norte de Minas Gerais. O caso aconteceu no último dia 5/8, no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos (SP).

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região, por meio do desembargador Valdeci dos Santos, negou um pedido de habeas corpus (leia mais abaixo) movido pela defesa da blogueira no último dia 7.

Laís viajava rumo à cidade de Dubai, nos Emirados Árabes, quando foi detida em flagrante pela PF em Guarulhos. A cocaína estava dentro de uma mala – carregada por Peterson de Souza Fontes, mas com os pertences da advogada.

Os policiais chegaram à droga por meio do aparelho de raio x.

Após diligência, os agentes localizaram a blogueira e Peterson e os conduziram à sede policial para a revista e perícia. Testemunhas acompanharam a ação, segundo a PF.

De acordo com a PF, a cocaína estava dentro de capsulas e frascos de suplementos alimentares.

A digital influencer tem quase 410 mil seguidores no Instagram. Ela ostenta uma vida de luxo em lugares de alto padrão financeiro, como as Ilhas Maldivas, na Ásia, e o Principado de Mônaco, na Europa.

Habeas corpus

A defesa de Laís moveu um pedido de liminar para tentar uma soltura. O advogado dela sustentou que não havia “requisitos para a prisão preventiva”, porque Laís é ré primária, com residência fixa e emprego lícito.

O advogado também ressaltou que não há elementos suficientes para ligar o crime à blogueira.

Porém, a Justiça Federal não concordou e a manteve presa preventivamente. “A versão apresentada pela Laís Crisóstomo Aguiar no sentido de que desconhecia o conteúdo da mala não se apresenta verossímil (coerente), tendo em vista que a cocaína apreendida estava escondida numa mala com os objetos pessoais da paciente”, decidiu o desembargador Valdeci dos Santos.

De acordo com a decisão, Peterson, que estava com a blogueira, confessou ser o dono da cocaína. Mas a Justiça entendeu que não há provas suficientes para se comprovar isso por enquanto.

“Trata-se de questões a serem dirimidas ao longo da instrução penal”, observou o desembargador.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar