Homem deu golpe com Bitcoin e usou Steven Seagal como garoto propaganda

Um golpe com Bitcoin aplicado nos Estados Unidos, envolvendo o ator Steven Seagal, acabou vendo seu líder confessar os crimes. Segundo a justiça dos EUA, a fraude financeira levou milhões de vítimas no país.

Steven Seagal participou do esquema como garoto propaganda, contratado para fazer o endosso do investimento que garantia retornos acima do mercado. Na época, as investigações apontavam que o ator recebeu US$ 1 milhão para promover uma moeda e sua ICO.

Chamada de “Bitcoiin” (com dois i’s), a criptomoeda foi criada ainda em 2018 e de lá para cá derreteu no mercado. Como Seagal recebeu sua porcentagem na moeda B2G, o ator acabou sendo investigado pela SEC.

Homem que aplicou golpe com Bitcoin envolvendo Steven Seagal confessou crime
De acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ), o criador da criptomoeda fraudulenta, John DeMarr, 55, se declarou culpado pela fraude financeira envolvendo a criptomoeda.

Após captar milhões no mercado em uma Oferta Inicial de Criptomoedas com a promessa do lançamento do “novo Bitcoin”, John “admitiu que conspirou com outros para fraudar as vítimas investidores, induzindo-os a investir em suas empresas, “Start Options” e “B2G”, com base em material falso e enganoso“.

No caso da Start Options, a empresa prometia lucros com mineração de Bitcoin, negociações e serviços de trade de criptomoedas.

Já a B2G era um ambiente de negociações envolvendo as criptomoedas, tokens e que foi apresentada como uma plataforma segura e abrangente.

A captação dos recursos dos golpes em ambas as plataformas acabaram sendo em Bitcoin, Dólar e até em Euro.

Tudo teria iniciado ainda em 2017, quando o Bitcoin viveu seu primeiro auge de valorização do mercado e viu vários golpes florescer com uso de sua imagem.

“Para participar, os investidores tiveram que depositar seus fundos por um período de contrato especificado, após o qual eles foram informados de que poderiam retirar seu dinheiro com um lucro significativo.”

Para captar inúmeros investimentos no mercado, DeMarr prometia que eles seriam reinvestidos em plataformas inovadoras e de alta rentabilidade. No entanto, boa parte dos recursos foram usados para pagamento de despesas pessoais, aquisição de um Porsche e mais.

De todas as acusações de fraude financeira, John DeMarr confessou perante a justiça ser autor destes crimes.

Após confissão, pode ser condenado a prisão por cinco anos
A sentença para John ficou marcada para ser aplicada em 4 de janeiro de 2022, quando ele receberá a punição pelos crimes que confessou agora. Como pena máxima ele poderá receber até cinco anos, segundo o DOJ.

O caso relembra aos investidores que, mesmo quando uma promessa de 8.000% chegar ao conhecimento, ela pode ser boa demais para ser verdade, mesmo se estiver acompanhada de celebridades em sua proposta.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar