Homem forja a própria morte para fugir de condenação por estupro, mas é descoberto com covid-19 em hospital

Um norte-americano foragido da Justiça, dado como morto em decorrência de um câncer em 2020, foi encontrado internado em um hospital na Escócia com covid-19. Nicholas Alahverdian, 34, havia sido condenado por uma acusação de estupro em Utah, nos Estados Unidos e, após a sentença, forjou a própria morte.

De acordo com o jornal norte-americano New York Times, Alahverdian usava o nome Arthur Knight. Ele foi hospitalizado e, em dado momento, chegou a precisar do uso de ventilação para conseguir respirar. Foram os funcionários do hospital em que ele estava que conseguiram reconhecê-lo e avisar as autoridades. Segundo os investigadores, a identidade foi descoberta por meio de fotografias, impressões digitais e uma amostra de DNA, fornecidos à Interpol.

Alahverdian foi preso no dia 13 de dezembro “em conexão com um mandado de prisão internacional”, informou a polícia escocesa. O investigado chegou a comparecer a uma audiência virtual no Queen Elizabeth University Hospital no dia 23 de dezembro, para responder ao processo de extradição. Ele foi levado sob custódia.

Os investigadores disseram que ele usou vários pseudônimos, incluindo Nicholas Rossi e foi condenado em 2008 sob esse nome. Sobre a condenação em Utah, da qual o acusado fugiu, o procurador do condado, David Leavitt, afirmou que o DNA do homem combinava com a evidência genética que havia sido retirada da vítima. Ainda de acordo com as autoridades, ele foi alvo de mais de uma denúncia de violência sexual.

Ao forjar a própria morte, Alahverdian deixou uma mensagem afirmando que seus “restos mortais foram cremados com suas cinzas espalhadas no mar”. Na ocasião, a polícia não acreditou na informação do óbito e prosseguiu com as investigações.

Ainda não há informações sobre o julgamento e extradição do acusado.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar