INFLUENCER DO CRIME: Blogueira é presa após dar golpes em cartões de crédito e até fazer empréstimo no nome das vítimas

A polícia do Rio de Janeiro prendeu em flagrante a influenciadora digital Anna Carolina de Sousa Santos e mais quatro amigas por estelionato e organização criminosa. Na última sexta-feira (9), a juíza Mariana Tavares Shu, da Central de Audiências de Custódia, converteu a detenção da quadrilha da blogueira para prisão preventiva, sem prazo de vencimento enquanto durarem as investigações.

Anna Carolina de Sousa Santos se apresentava como influenciadora e empreendedora nas redes sociais, juntamente com Yasmin Navarro, Mariana Serrano de Oliveira, Rayane Silva Sousa e Gabriela Silva Vieira. Elas roubavam dados de cartões de crédito e os repassavam a comparsas, que faziam saques, compras e transferências, segundo a polícia.

A quadrilha foi encontrada em um apartamento no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio de Janeiro. No local, funcionava uma “central de telemarketing”, que servia para aplicar golpes. No momento da prisão, policiais encontraram duas indiciadas em ligação ativa com suas vítimas.

As criminosas entravam em contato com as vítimas fingindo ser da administradora do cartão de crédito. Diziam que havia sido detectada uma fraude nas compras feitas no cartão e que a vítima deveria passar alguns dados para resolver o problema.

As mulheres ainda mandavam um suposto motoboy até a casa da pessoa para pegar o cartão. Com todos os dados e o cartão das vítimas em mãos, elas faziam compras, saques em contas bancárias, pix a até empréstimos.

A defesa de ariana Serrano de Oliveira e Gabriela Silva Vieira alegou que as duas não são moradoras do Rio de Janeiro e apenas estavam no apartamento no momento da operação policial. A questão da residência em outro estado também foi abordada pela defesa de Yasmin Navarro. O argumento não foi acolhido pela juíza.

A defesa de Yasmin ainda pediu o relaxamento da prisão pelo fato de a suspeita ter um filho menor de idade, o que é previsto no Código Penal, mas que também foi rejeitado pela magistrada.

A defesa de Anna Carolina se manifestou repudiando veementemente as acusações que foram feitas contra ela: “Ao longo do instrução criminal, sua inocência será provada. A mesma possui ocupação lícita, residência fixa e bons antecedentes, razão pela qual será impetrado o recurso cabível para sua soltura”.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar