LICITAÇÃO EM 24H: Galego Souza é condenado a perda de direitos políticos e multa após irregularidades em Réveillon de São Bento

Quando um gestor mostra celeridade nas obras públicas, a população o tem como um bom gestor. Mas nem sempre a pressa é amiga da perfeição, o ex-prefeito de São Bento, Galego Souza, foi condenado pela justiça por “dar pressa” em um processo licitatório.

A decisão da 8ª Vara da Justiça Federal na Paraíba, condenou por improbidade administrativa e na decisão, o juiz Guilherme Castro Lôpo pede a suspensão dos direitos políticos por três anos, além da aplicação de multa.

A sentença teve por base uma ação proposta pelo Ministério Público Federal (MPF), que apurou irregularidades em licitações para realização do Réveillon em São Bento no ano de 2008 e teve por base a locação de palcos, banheiros químicos, sonorização e iluminação.

Na ação, foi destacado que a realização da licitação ocorreu em um curto espaço de tempo, uma vez que a autorização, declaração de disponibilidade orçamentária, autuação do procedimento licitatório, edital, parecer jurídico e publicação no jornal oficial do município foram todos realizados no mesmo dia.

O deputado apontou que o processo foi feito dentro da normalidade e atribuiu a denúncia a perseguição política. Ele citou ainda que mesmo tendo feito todo o processo num espaço de tempo tão pequeno e causando estranheza, não houve danos ao erário e que a sua defesa já recorreu da decisão, ao afirmar que está tranquilo quanto ao processo.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar