Quatro ex-funcionárias de mulher investigada por agressão e cárcere privado contra babá que pulou de prédio prestam depoimento

Ao menos quatro ex-funcionárias de Melina Esteves França, investigada por agredir e manter e cárcere privado a babá Raiana Ribeiro da Silva, vão prestar depoimento à polícia nesta sexta-feira (27), em Salvador. Elas também relatam ser vítimas dos mesmos crimes.

Os casos vieram à tona depois que Raiana, para escapar de Melina, pulou do terceiro andar do prédio da ex-patroa, que fica no bairro do Imbuí. O advogado de Raiana também vai representar as outras quatro ex-funcionárias.

Além dos relatos de agressão, algumas das mulheres também dizem que não receberam os salários. Melina poderá responder por cárcere privado e trabalho análogo à escravidão, já que manteve as trabalhadoras em condições mínimas e direitos trabalhistas não foram cumpridos.

O caso é investigado pela 9ª delegacia da Boca do Rio. Melina prestou depoimento por seis horas na quinta-feira (26), mas não chegou a ser detida. Ao chegar no prédio onde mora, depois de ter saído da delegacia, ela foi vaiada pelos vizinhos.

Raiana trabalhava como babá na casa de Melina há cerca de uma semana, cuidado das filhas trigêmeas da empresária. As crianças têm 1 ano e 9 meses de vida. Durante o trabalho, Raiana passou a ser agredida por Melina e resolveu deixar a ocupação após encontrar um outro emprego.
“Ia fazer oito dias [que estava trabalhando lá], mas a agressão começou na terça-feira [24 de agosto]. Começou porque eu falei para ela que não dava mais para mim, que eu ia sair na quarta-feira [25]. Aí ela falou: ‘Vou te mostrar, vagabunda, se você sai’. E aí começou a me agredir”, conta a vítima.

Na quarta-feira (25), a situação piorou e Melina chegou a trancar Raiana no banheiro. Foi no desespero, que a babá resolveu fugir pela janela e acabou pulando do prédio.

“Ela me trancou no banheiro ontem pela manhã, e foi quando bateu o desespero de fugir de alguma forma. Quando eu vi o basculante do banheiro, aí eu tentei sair. Achava que alcançava a outra janela, mas não alcancei e me soltei. Fiquei pendurada em um ‘degrauzinho’ onde estende roupa, mas não alcancei a outra janela, me soltei e caí”.

Com a queda, Raiana sofreu uma fratura no pé e chegou a ser hospitalizada. Ela recebeu alta médica ainda na quarta.

Um vídeo gravado por vizinhos de Melina mostra o momento em que a babá que pulou do 3° andar de um prédio, ficou entre os edifícios após pular da janela para fugir da patroa. 

Antes de se jogar do terceiro andar do prédio, Raiana chegou a enviar uma mensagem de áudio pedindo ajuda aos familiares em um aplicativo de mensagens.

Segundo a defesa de Raiana, depois disso, a babá teve o aparelho celular foi recolhido pela patroa. Os familiares não conseguiram encontrar o condomínio onde ela estava trabalhando para resgatá-la.

Uma amiga de Raiana acrescentou que a babá contou que foi agredida com tapas e com uma colher de pau. Após o caso, o Sindicato das Domésticas afirmou que acionou a Superintendência Regional do Trabalho.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar