DOR DE COTOVELO: Ricardo Coutinho se ressente com apoio incondicional do PSB a Gervásio Maia e bombardeia ex-aliado

Algumas alianças políticas, que pareciam forjadas a ferro, estão se mostrando bem corroídas pela ferrugem. O ex-governador Ricardo Coutinho, era um nome de peso para seu partido, o PSB. E para Ricardo, o nome de Gervásio Maia era uma promessa na política paraibana. Mas esses elos, que aparentavam ser tão fortes, são coisas do passado.

Ricardo Coutinho está de malas prontas e pronto para deixar o PSB que tanto o apoiou durante a fase mais crítica de sua crise política. Como na volta ninguém se perde, a aposta do ex-girassol é o seu retorno ao PT. Mesmo bombardeado pelos sucessivos escândalos envolvendo a gestão do então governador com ã Operação Calvário, o PSB o apoiou e manteve sua campanha para prefeitura de João Pessoa. O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, não esconde a contrariedade com a falta de reconhecimento: “Achei estranho que poderia sequer ter nos procurado para ter a gentileza de comunicar que estaria saindo”. Siqueira admitiu que só soube do movimento de saída depois de uma ligação da presidente do PT, Gleisi Hoffman e considerou remotas como condições de elegibilidade do ainda socialista para 2022.

Mas as perdas do PSB só cresceram. Segundo o presidente os desentendimentos de Ricardo com o atual governador João Azevedo e o senador Veneziano Vital do Rêgo fizeram o partido romper alianças vantajosas: “Ficamos do lado dele. Ele foi candidato de última hora a candidatura a prefeito de João Pessoa e financiamos a campanha dele, com mais de 1 milhão. Fizemos o que deveríamos fazer, se ele não é agradecido, o eleitor e seus seguidores façam o julgamento”.

Agora o foco do PSB é o nome do deputado Gervásio Maia. E junto com o apoio da sigla, veio um alvo para que Ricardo Coutinho minasse o outrora aliado. Após o anúncio de Carlos Siqueira dizendo que Gervásio é o nome que irá reorganizar o partido e forjar novas alianças com João Azevedo, Ricardo deu entrevista numa rádio paraibano elencando feitos e desfeitos do deputado.

Ricardo Coutinho disse que o mérito de Gervásio Maia como deputado e como presidente da sigla não existe: “Ele está deputado, ele foi eleito, por que eu banquei sua campanha, politicamente falando. Até mesmo presidente da sigla, ele é por que eu botei ele lá”. Ricardo ainda disse que Gervásio não comparece as reuniões e sem pensar no coletivo, usa o partido para objetivos pessoais.

Rebatendo o presidente do PSB, que acredita que Gervásio é o nome para firmar alianças, Ricardo diz que o parlamentar já perdeu muitos dos nomes que lhe apoiaram: “Ele acha que só pode ser candidato se for pelo governo, pensamento oligárquico. Vive pedindo perdão a João Azevedo”.

Por fim,  o ex-governador profetiza que o fim do PSB não será muito risonho: “Gervásio não vai encontrar conivência na militância, vai restar uma carcaça, um partido endireitizado”.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar